“Este argumento não convence o psicólogo Nuno Sousa. Para ele, estas situações colocam as pessoas numa “posição submissa em relação ao destino”, como se fosse uma fatalidade.”

[/fusion_text][/fusion_builder_column][/fusion_builder_row][/fusion_builder_container]

Leave A Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.